Taxidermia e Esqueletos

A palavra TAXIDERMIA provém do grego (taxis significa organizar, dar forma e derme quer dizer pele), ou seja, taxidermia é a arte de preparação da pele de um animal para exposição.

Ao observar os animais sem vida, que foram taxidermizados (empalhados) é possível conhecer características físicas e biológicas de diversas espécies além de  ser uma maneira de preservar esses animais e permitir que eles sejam conhecidos pelos visitantes.

O acervo  compõe-se de exemplares de mamíferos, aves e répteis que encontram-se em ambientes que simulam seus habitats de origem, como cerrado, regiões de banhado, floresta atlântica, entre outros.

Os esqueletos de diversas espécies oferecem relevância de estudos e conhecimento da diversidade da anatomia comparada dos seres vivos. É um convite ao exercício de comparação e ao conhecimento da diversidade e adaptações dos animais.

A forma e o tamanho das estruturas anatômicas são indicativos da maneira como o animal sobrevive no meio ambiente. Isto significa que estudando anatomia ampliamos nosso conhecimento sobre o modo de vida dos animais, seus padrões alimentares, de locomoção e de reprodução, relacionados à diversidade de habitats.